segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Integridade Estrutural

Nanossegundo após nanossegundo, elevados a potências incompreensíveis a nós pela sua imensidão, passados a perpetuar gestos claramente repetitivos com uma intensidade compulsiva.
Sabes que quando não durmo o tempo é especialmente relativo, contigo duplamente. Tempo estranho, fazes-me perder o comboio do meu pensamento. Espero pelo próximo enquanto suprimo demónios da libido.
Digladio-me com eles, bullet time, acrobacias mentais, espadas conectam-se em combate quando sinapses semi-adormecidas disparam cataratas de informação. Venço, mas fica sempre um deles. São piores que os gremlins, e nem os preciso de alimentar depois da meia-noite, qualquer momento é suficiente.
Mas por agora estão controlados, normalidade restabelecida na linha direcção lado nenhum.
Posso continuar, agora sem medo. Ainda que veja um deles num canto escuro da minha mente, a olhar me com seus olhos vermelhos.
Fica para outro dia.
Hoje tenho mais que fazer.
Hoje tenho que manter a minha integridade estrutural.

3 comentários:

AnCaLaGoN disse...

Demon... demon... Demon... demon... Demon... demon... Demon... demon... Demon... demon... Demon... demon... Demon... demon...

So many demons...

Lovernios, o Raposo disse...

O continuum espaço-tempo passa sempre mais lentamente na priximidade de um buraco negro... mas tão rápido na presença de um "solar flare" momentâneo da presença de uma estrela... real ou figurativa...

E a líbido... força gravitacional que nos agarra quanto mais próximo estamos da sua fonte... ah pois.c

nenúfar disse...

diria que já lá vão uns dias: desde que colocas aqui algo novo e desde que eu deixo um pouco do meu parecer.
é incrível como os teus textos estão sempre repletos de sensualidade camuflada, libido, desejos quase obrigatórios.

:)