quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

O gato cliché


Ofereceram-me hoje um gato, um gato preto, um gato preto com um tufo branco na têmpora direita.
Sei que vai soar cliché, mas o gato passa umas vibrações algo satânicas, a sério, parece que é o meu familiar!
Por isso dei-lhe o nome de Cliché, parece me apropriado, para um gato negro familiar. Além disso fala comigo em francês e pede a minha alma, deve ter sido por isso que mo deram…
Sabes, estava lá por casa, sem nada para fazer, a olhar para ontem, numa obsolescência obsequiosa perante arcanas conquistas, isto é, devia fazer algo de novo, algo, mas não me apetecia levantar o rabo do sofá.
Ele chegou-se a mim, coçou a cabeça na minha coxa numa delícia cliché, olhou-me nos olhos e perguntou-me as horas, isto em francês, que nem sequer sei falar, mas foi isso que ele me perguntou!
São 13:37, moleza pós-almoço, será que as natas estavam estragadas? Sabes que o teu tempo está acabar, sabes que te posso dar o tempo que precisas, disse-me ele, voz inumana no meu crânio.
Que sabes da minha vida, Cliché? Que sabes da minha dor? De que os meus dias se finam? Porque não posso ver envelhecer as crianças do parque, qual foi o meu pecado?
Nenhum (ainda), aceita-me e eu verei que te tornes uma permanência.
Aceito, dá-me o que desejo…
Tempo passa, sinto-me algo desapontado, mas pelo menos fizeram-me um balancé…

7 comentários:

Ancient soul disse...

"Por que razão não hei-de ser intemporal? Quem decidiu que após isto, tudo acaba? NÃO! não aceito e vou provar a mim mesmo que estou certo! E o silêncio, a brisa, o raiar do sol, o ronronar dos meus fiéis companheiros, o sorriso de quem me ama, dizem-me que estou no caminho para lá chegar! E não vou deixar que algumas ervas daninhas tapem os locais que eu devo calcorrear para chegar ao meu destino! Não, not this time!! I am going to get there whatever it takes!"

O Raposo, the foxman disse...

Ele fala francês, ora aí está a prova : Ele é mesmo malévolo, mas... com classe. Coloca a hipótese de ser o Satanás em pessoa... quer dizer... gato! Todos sabem que, se fosse um demónio menos sedento de destruição começaria o discurso com um belo "Xiii patrão", ou um "Ué mê irrmão" se fosse apenas um demónio estúpido.
Saiu-te a sorte grande, o meu Anúbis apenas me diz "Kill her, kill her", penso eu que seja acerca da minha cadela...

linfoma_a-escrota disse...

MIAR PERPÉTUO

Nasci encurralado nesta sociedade felina massificada,
ouço-os chiar todos os dias com
suas garras afiadas e fome insaciável,
são os gatos, como dizia a senhora da bata branca
tinha eu dois anos e não sabia
que os gatos são um malefício de todas as cores;
aborrece-me seu feitio estandartizado
que obedece às ordens pré-fabricadas,
incutidas, desenhadas nos chãos de cimento caro
daquela sala alta de vidro interminável,
talvez realidade futurista delimitada pelos
fetiches dos tigres das cadeiras altas;
estão cá dentro e não tenho hipótese de fuga,
são imediatos e invísiveis
propagam-se pelo ar, despoletam impotência,
se resistir dou de comer à maldição
porque fico sem conhecer o que se passa,
bem posso correr o mais que puder que
estarão à minha espera no final quando me cansar
e parar para respirar pela fálica
penitente indulgência de receita médica;
posso-me esconder em armários que
infiltrar-se-ão na poeira que nos rodeia,
na resina da Primavera controlada pelos satélites
que nos descobrem em qualquer local do mundo,
nem prazer posso ter que estarão a
aguardar do outro lado do tubo que me ajuda a respirar e
me acelera a morte, pressuposto constante nas costas. 2003


in fotosíntese







WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

Nês disse...

E sabes porque é q dá a moleza pós-almoço? Pq toda a energia do organismo está concentrada para a digestão :)

Obrigada pelos Parabéns :)

nenúfar disse...

eu sempre disse que os clichés não são maus de todo :)

AnCaLaGoN disse...

"Sabes que o teu tempo está acabar, sabes que te posso dar o tempo que precisas, disse-me ele, voz inumana no meu crânio."


Vá láááááá, uma pessoa louca não é aquela que cria um gato preto de clichés e diz que ele fala com ele...

A pessoa louca é aquela que nem sequer se dá conta de que precisa de viver, aquela que passa os seus dias, amorfo, talvez ouvindo Amorphis, talvez dando demasiado do seu tempo a Morpheu, na esperança de que um sonho se torne realidade. O gato não tem culpa, só o teu cérebro.

Parafraseando Kerouak: What's in store for in the direction i don't take?

João Teixeira disse...

Realmente estou impressionado, gostei bastante do texto, apesar das estranhas associações. Parabéns :)

PS: Não posso claro está, de deixar de mandar a piadinha. Que passo agora a enunciar.

Por falta de talento para a musica que não te sai-a o gato maltês. Mas se calhar, também não tens pianos em casa para o confirmar.