domingo, 28 de setembro de 2008

Extinção Prematura


Por vezes alterco-me com questões importantes, questões nascidas da mente de um sofredor de insónias, são horas passadas em divisões disformes reflectindo acerca, por exemplo, da razão porque todos os animais com estilo estão extintos. É uma questão saudável de se considerar, soa a uma piada surrealista, porque é que toda a fauna exótica a sério bateu as botas. Será uma questão cultural, e por isso exótica, por estar extinta e assim fora do nosso alcance?
Não me parece!
Onde é que estão as galinhas gigantes?
E os lobos marsupiais?
E até os dodós são mais interessantes que um ganso aleatório.
Parece que estamos a viver num universo saído da mente de um Deus com inclinações de funcionário de repartição pública e um sentido de humor duvidoso.
“Galinhas! Que sejam pequenas, portáteis e gostem de milho! E boas no churrasco, já agora, para compensar os vírus que criei na terça-feira.”
Um pouco insosso, não acham?
Há quem sinta saudades de Salazar, eu sinto saudades do T-Rex.
Um certo fascínio pelo que se perdeu.
Pelo que nunca vou ver em primeira-mão, pelo que nunca vou poder apreciar nem sequer em segunda-mão.
E que se lixem os gansos.

2 comentários:

Lovernios, o Raposo disse...

Isso vou eu dizer daqui a uns tempos... quando tantos especies hoje em dia virarem extintas!

Onde estará o meu tigre siberiano???

E para animais pré-históricos... não te basta a Teresa Guilherme?

AnCaLaGoN disse...

Um pouco de aleatoriedade nunca fez mal a ninguém... ora... um pouco de extinção aleatória também não... eu digo que está na hora de matar os melros.... e talvez um ou outro individuo na humanidade que nos chateie...