domingo, 4 de maio de 2008

Neste Momento

Despia-te de todas as palavras pronunciadas antes, prenunciadas, sabes que elas são materiais de mais para este momento.
Percorria o teu corpo, o teu corpo com dedos estilísticos, sabes que o meu toque não é ao acaso.
Beijava-te as tuas ideias virgens, sabes que nada mais me saciaria neste momento. Acariciaria os teus conceitos despojados de presunções preemptivas, sabes que não existe outro caminho nestas terras.
Possuiria o que é teu, novo para mim, sabes que não me permito a outras acções.
E disto, deste momento, o que posso guardar?
Pouco posso levar comigo, pouco posso levar além das conclusões, argumentos e algumas falácias.
E tu?
Guardarás algo?
Mais alguma carta?
Mais desejos escrevinhados em locais impróprios para tal, em momentos inoportunos para mais.
Mais letras na minha pele, mais marcas na minha psique.
É isso que sobra?
Diz-me que isto é só o início!
Não quero ver o fim assim tão palpável, tão fácil de definir em palavras medíocres enquanto o tempo se esvai em preposições que nunca mais serão úteis.
E que tal procurarmos um sinónimo para isto?
Ouvi dizer que a vida é um bom thesaurus.

3 comentários:

AnCaLaGoN disse...

"Diz-me que isto é só o início!"


Sabes bem que isto é só o inicio, da tua vida, da tua parvoíce a olhar de um lado para o outro... da tua parvoíce a perguntares-te, será que é agora?

é o inicio sim, nada é fim nem meio.
Agora dá continuidade ao inicio para que seja inicio de muitas outras coisas...

and this is not only for the text!!!

Lovernios, o Raposo disse...

A psiché é um mundo... colisões tectónicas provocarão montanhas, serras... Mas o mundo, também existem suaves planícies, rios descendentes, selvas selvagens, ventos e brizas.

Agora pára de olhar para a merda das núvens e aprecia a beleza das chuva miúda, foda-se! A beleza existe em TUDO!

Aprende a ver a beleza até na morte de animal que vai alimentar os vermes, que vão alimentar os animais! Ciclo, ciclo, ciclo, ciclum, eternum!

Anónimo disse...

A vida é uma busca, que se faz muitas vezes de fora para dentro.
As vezes tenho dificuldade em entender as tuas palavras, creio que nem sempre falas de ti, em certas frazes tenho a sensação que falas de um super Eu que é constantemente posto á prova e que nada teme. Mas no fundo as tuas acções vivem limitadas e subjulgadas ao teu pensamento.
Tu sonhas de olhos abertos, mas o mundo não pára:)