segunda-feira, 26 de maio de 2008

Purga da Realidade

Mais uma purga, mais um início. Porra, mais uma ilusão desfeita pelo contacto com a realidade. O destino deve me ter confundido o meu amor à realidade com um desejo de conhecer a realidade.
Nada disso, no que toca à existência interpessoal, não quero realidades, quero criações, não quero provas, quero estórias, quero enlevo, quero, quero, quero, sei lá.
Mais uma mentira minha, mais uma lágrima caída por uma ilusão morta, mais um osculo negado a bom tempo.
Porque é que as ilusões são tão atractivas, sempre tão atractivas para mim. Bah, carte blanche para me agredir, mereço, claro que mereço.
Vou chorar para o duche, longe de tudo, água ensurdecedora cala os meus soluços.
Nada que uns headphones novos não curem.
Hey, it’s the end, my friend…ain’t it?

4 comentários:

Anónimo disse...

Sim, às vezes a realidade deita por terra as nossas ilusões, os nossos sonhos... Adorei "o destino deve me ter confundido o meu amor à realidade com um desejo de conhecer a realidade". De génio! Compreendo as lágrima. O "destino", como tu lhe chamas, às vezes tem destas coisas... E magoa... Ainda mais a ti, que às vezes pareces querer fugir desesperadamente da realidade.
angie

AnCaLaGoN disse...

"Mais uma mentira minha, mais uma lágrima caída por uma ilusão morta, mais um osculo negado a bom tempo."

Sweet, já sabes como é... construir ilusões na nossa cabeça, que tão rapido passam de realidade a ... foda-se, não era realidade.

Mais um pequenino texto com boa qualidade.

Lovernios, o Raposo disse...

Não é tanta "Purga da Realidade", mas "Puta da Realidade".
Aprende o jogo dela e ainda ganharás uma comissão.

Rita Pacheco disse...

Como me vejo reflectida nestas palavras!

Rita