quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Erro


Foste o meu erro. Querer-te foi o meu erro. Querer-te fora de tempo foi o meu erro. Querer-te fora de mim foi o meu erro.
O erro foi todo meu porque eu quero que seja meu, porque a minha sede do absoluto me exige, aqui e agora e até a hora da minha tão antecipada morte.
Doce autodestruição.
Mais vale a desilusão, querida, mais vale do que te iludas do meu valor fugidio, porque isto não tem vida, está morta a paixão, morreu debaixo das minhas botas bamboleantes.
Nunca te amei, ficamos assim, ninguém sofre, certo?
Gostaste da minha ilusão, entreteve-te?
Mantive-te acordada até tarde, elevei o teu ego…
Pelo menos isso, que te tenha agradado a atenção.
Bah! Isto já está a durar demais, cá dentro só existe ódio, desprezo todos os meus actos. Já nem acredito no que digo.
Foda-se
Precisar de te ver uma outra vez.

12 comentários:

nenúfar disse...

sim, por favor, não deixes este blog morrer ;) *

Cid disse...

Cool.
Verdadeiramente visceral.
Vem de dentro, o que implica que não és mais um dos muitos zombies que estão mortos, por dentro e por fora, daqueles que querem convencer os outros e principalmente eles próprios de que estão vivos...
Sigue así chico!

Yavanna Kementari disse...

Bem, what can I say? Ainda não tinha lido nada teu mas fiquei surpreendida, gostei muito deste excerto. Não só porque me identifiquei com ele de certa maneira mas porque gostei da maneira como o escreveste, como se estivesses a falar para alguém, esse tom intimista.
Quero ver mais.
Beijo*

Anónimo disse...

biurn teh biatch!
Gil

O mudo disse...

É pá... prontos, cá estamos. Mais uma vez a bater no seguinho, não é verdade? Mas é que um seguinho pode ser seguinho, mas não é maneta. Não precisa que le batam...

Esta coisa de andarem por aí a falar de mim e a contar as minhas experincias pessoais já começa a chatear um pedacito.

Quer dizer, qualquer dia só falta pores aqui um texto sobre um manipulador hacker do hi5, impotente e com tendências suicidas, não?

Vamos lá ver a brincadeira... se te apanho levas uma cabeçada nos punhos, que vais ver...

marta neto disse...

ok... eu admito...o meu irmao é mm bom nisto da escrita... tou maravilhada;)...
continua assim ....k eu dps passo te os textos a limpo:P...
bjs pro meu manito k adoro mt, apesar de nao o dizer cara a cara....

Anónimo disse...

este blog tá porreiro.
o texto ta profundo.
continua a publicar aqui cenas.
tens jeito para escrever.
fica bem man.

[]
Andre

Anónimo disse...

ta mto fixe o texto.
tens jeito.
continua.

[[]]
Andre

AnCaLaGoN disse...

Vou-te deixar aqui um comment com uma referência:

"I started a joke, which started the whole world crying,
But I didnt see that the joke was on me, oh no.

I started to cry, which started the whole world laughing,
Oh, if Id only seen that the joke was on me.

I looked at the skies, running my hands over my eyes,
And I fell out of bed, hurting my head from things that Id said.

Til I finally died, which started the whole world living,
Oh, if Id only seen that the joke was on me."


Ora bem, nada pior do que nos sentirmos assim.

"Gostaste da minha ilusão, entreteve-te?
Mantive-te acordada até tarde, elevei o teu ego…
Pelo menos isso, que te tenha agradado a atenção."

Grande passagem, esta tem mais odio do que quando dizes o que há dentro de ti :)

Os melhores sentimentos são aqueles que não são ditos, não precisas de dizer que tens odio e desprezo, isso já se demonstra através de todas as palavras bem usadas.

Continua a escrever, este mundo precisa de mais um escritor, só mais um...

Pedro o Raposo disse...

Viver a vida baseada em ficção ou... viver uma ficção na nossa mente baseada na vida?

Wake up. O amor é uma doce ilusão. Acorda. O amor é a maior película de terror.

Está um excelente texto, vibrante de energia, sinceridade e explosivo em sentimentos.

diehappynow disse...

Este é, de tds os textos q já li teus, o q gosto mais. Gosto da emoção implícita, do tema da desilusão. Go on, arcturus...Faz smp mais, smp melhor. Tens ideias, nao as deixes morrer.*

Anónimo disse...

tudo nasce em ti, mais tarde se expande para voltar a morrer no teu coração.
depois vem a negação, negas-te a ti e ela deixa de existir. no fundo o ódio e o amor caminha pela mesma estrada mas em momentos diferentes.
gostei de te ler nestas palavras fortes, que exprimem sentimentos complicados e doentios.
Ass: Alfaces