domingo, 9 de dezembro de 2007

Taça de Cereais


Uma taça de cereais e duas patadas na porta, decisão atrasada no tempo, proscrinação, estou atrasado na minha vida perdida, perdido nas horas vãs em que entretenho pensamentos irrelevantes, anarquicos, criativos e subversivos.

Não interessa, o dia é frio, headphones nos ouvidos, Satanás diz o que fazer. Sê forte, sei, só não sei onde aplicar pressão, onde está a ferida que preciso de estancar.

Ritual do habitual, cafeína no sangue, reflexão sobre as mortes dos outros. Doença? Já estamos mortos, eu já me morri, renasci, morri…
Roda de Dharma de desejos perversos que bem conheces, não sei viver de outra forma.

Uma cara amiga, tanta energia, metes-me nojo com tanta vida!

Bom humor, tudo tem graça, piadas óbvias, pão da vida, nada por perto do negro. Outros problemas, outra purga do nada, quero mais, queixo-me de mais…

Quero ver essas 40 páginas.

3 comentários:

nenúfar disse...

hmmm o texto roça o mais que interessante, bem escrito e boa leitura. MAS há uma coisa que não gostei e aposto que sabes qual é :) *

O Raposo, the foxman disse...

Arrasta-te. É assim a vida. Arrasta-te. Apenas a morte é certa. Arrasta-te. Afasta o que não combina com o teu estado de espírito.

Respira.

Agora deixa a cafeína surtir efeito como um bálsamo. Rejeita os cereais e sente-a arder na parede estomacal e penetrar em ti.

Respira.

Agora arrasta-te.

AnCaLaGoN disse...

É bem.
Quando tamos tão mal que até a felicidade estampada na cara de amigos nos mete nojo algo vai mal.

E digo-te o que vai mal, o resto do mundo vai mal, se o resto do mundo nos seguisse nós estariamos bem :)